Enter your keyword

Ponte aérea: quando emitir e como gastar menos?

Ponte aérea: quando emitir e como gastar menos?

Quando um avião decola do Santos Dumont na ponte aérea rumo a Congonhas, acomoda em sua cabine incríveis disparidades de tarifas. Numa poltrona viaja João, consultor de TI que comprou a passagem numa promoção por R$ 89 para ir a um congresso. Ao lado, senta-se José, advogado convocado às pressas por um cliente, que desembolsou R$ 1.390.

Frequentemente, agentes de viagens são consultados sobre o momento adequado para emissão das passagens, visando redução de custo.

Regra geral: quanto maior a antecedência da emissão, maiores as chances de obtenção de tarifas mais baratas.

As tarifas da ponte aérea se tornam especialmente caras quando a data de embarque se aproxima. A recomendação da Carpus é que os clientes busquem uma antecedência mínima de duas semanas para a emissão. Entretanto, muitas vezes não é possível confirmar um compromisso com semanas de antecedência. Reunimos aqui algumas dicas adicionais que podem ajudar na redução de custos.

  • Antecedência ajuda se o índice de remarcações for baixo! Se é provável que ocorra alteração do bilhete, normalmente não compensa comprar muito antes da viagem. Em caso de remarcação, a companhia aérea cobrará a diferença tarifária, além da multa. O benefício da obtenção da tarifa baixa se perde.
  • Está na dúvida se vai haver reunião? Entre em contato com sua agência e faça uma reserva! Não tem custo. As companhias aéreas têm o direito de retarifar uma reserva não emitida, mas a prática não é usual. Portanto, um voo reservado pela manhã pode ser emitido à noite pelo valor da tarifa vigente no momento da reserva, que muitas vezes é 20% ou 30% inferior à tarifa vigente no horário da emissão.
  • Um exercício simples, mas muitas vezes esquecido pelo imediatismo do mundo corporativo: o compromisso precisa mesmo acontecer essa semana? A reunião pode acontecer daqui a 15 dias, com uma passagem que talvez custe metade do preço?
  • Se você tem influência na definição do horário do seu compromisso e faltam poucos dias para o embarque, tente organizar sua agenda para que os voos não sejam nas faixas de horários mais caras. Na ponte, os voos em horário comercial, das 9h às 17h, tendem a ser mais baratos. A manhã de segunda-feira e a tarde de sexta-feira são especialmente concorridas e têm maiores chances de transtornos nos aeroportos.
  • Dica óbvia, mas sempre válida: verifique as tarifas em aeroportos alternativos! Quando as tarifas entre Santos Dumont e Congonhas estão muito caras, muitas vezes compensa utilizar os voos via Galeão.
  • Use com moderação: quando a tarifa estiver proibitiva e você puder “correr risco”, avalie a possibilidade de emitir um voo mais tarde que o desejado, e antecipar o voo via aplicativo ou no balcão. Essa dica é especialmente para a ponte LATAM e Gol, que tem alta frequência de voos – e possibilidade maior de antecipação no dia da viagem.

Naturalmente, parte das dicas mencionadas se aplica também a outras rotas, além da ponte aérea. O artigo foca nos voos entre os aeroportos Santos Dumont e Congonhas, que representam fatia significativa das viagens corporativas.

Você achava que bastaria comparar as tarifas disponíveis e emitir a mais barata? Chegou a hora de conhecer uma agência especializada em redução de custos. Agende uma reunião com a Carpus para saber mais.